Setorial - Nossa terra no ar.
07 de abril de 2016 08:39

SJC pede ao governo do Estado antecipação da vacinação contra H1N1

Por Redação

O secretário de Saúde encaminhou nesta quarta-feira (6) um ofício ao governo do Estado solicitando o envio de vacina contra a H1N1 para antecipar a campanha na cidade. O documento foi protocolado no Departamento Regional de Saúde (DRS–17), em Taubaté. A campanha nacional de vacinação está prevista para ocorrer só a partir do dia 30 deste mês.

Segundo o secretário, o motivo do pedido é o crescimento do número de casos suspeitos na cidade, que ainda aguardam resultado do exame, além do aumento no número de internações por suspeita da Síndrome Respiratória Aguda, quadro que comumente é causado pelo vírus da H1N1.

Atualmente, São José dos Campos tem 36 pacientes com suspeita da doença, dos quais 30 estão internados em três hospitais da cidade (22 no Hospital Municipal, 4 na Santa Casa e 4 no hospital Santos Dumont). Até agora, nenhum caso foi confirmado.

“Sabemos que o Ministério da Saúde já adiantou as doses para o Estado de São Paulo. Por isso, estamos pedindo que o Estado nos envie, o quanto antes, para que possamos iniciar a vacinação na nossa população, já que a incidência da doença também adiantou este ano”, disse o secretário.

Segundo dados divulgados pelo Ministério da Saúde, a gripe H1N1 já atinge 11 Estados e o Distrito Federal, totalizando 444 casos no país até 26 de março. Neste período, pelo menos 71 pessoas morreram em decorrência da doença. A maior parte dos doentes está no Estado de São Paulo, que já registrou 372 casos e 55 mortes.

Tamiflu

Outra preocupação do município é o abastecimento do Tamiflu, que está em baixa. O município tem hoje apenas 650 comprimidos. A Prefeitura já solicitou ao Estado mais 20 mil comprimidos, mas já foi avisada que serão encaminhados apenas 7 mil unidades, ainda esta semana. Cada paciente que faz uso do medicamento precisa tomar 14 comprimidos (dois por dia, por sete dias consecutivos).

“Essa quantidade é pequena. Portanto, um ofício foi encaminhado às unidades de saúde reforçando as orientações para que a prescrição do Tamiflu seja feita de forma bastante criteriosa: apenas para pacientes com a forma mais grave da doença ou para aqueles que estão com a gripe sem gravidade, mas têm doenças crônicas associadas, o que pode aumentar os riscos”, disse.

Além do ofício, o secretário convocou uma reunião com representantes de todos os hospitais da cidade (públicos e particulares), do Conselho Regional de Medicina (CRM) e da Associação Paulista de Medicina (APM). O objetivo é expor a situação e pedir que os profissionais de saúde sejam orientados a prescrever o medicamento apenas para os pacientes graves. A reunião está agendada para segunda-feira (11), às 10h, na secretaria.

“Precisamos fazer isso para não corrermos o risco de dispensar o medicamento para pacientes com gripe comum e, depois, o remédio faltar para pacientes internados, com gripe grave. Por isso, vamos pedir que os hospitais e os órgãos de classe possam nos ajudar a sensibilizar os médicos para a gravidade da situação”, disse o secretário.

Segundo ele, 75% das prescrições de Tamiflu ocorridas nas duas últimas semanas são de hospitais da rede particular, para pacientes sem gravidade e fora dos grupos de risco.

Campanha

Para orientar a população, foi lançada uma campanha nas redes sociais e com a utilização de folders, cartazes e banners, com foco na prevenção da doença.

Lavar as mãos com frequência, evitar ambientes fechados e com aglomeração de pessoas, cobrir a boca com lenço descartável ao tossir e espirrar e evitar tocar os olhos, nariz e boca após ter contato com superfícies de uso comum, são algumas das recomendações do material.

Além disso, todas as unidades de saúde serão reabastecidas com álcool gel nas recepções. Máscaras descartáveis também serão distribuídas aos pacientes que chegarem nas unidades de saúde com sintomas de gripe, para evitar o contágio de outros pacientes.

Além disso, a Vigilância Epidemiológica vai promover cursos de atualização dos médicos da rede municipal e particular da cidade sobre o H1N1, solicitando que redobre a atenção com gestantes, cardiopatas ou diabéticos.

 

Fonte: Prefeitura de SJC

Comentários

*Todos os comentários são moderados. Isso quer dizer que nós lemos todas opiniões e damos preferência para aquelas que agregam mais informação, que tenham personalidade e que não ataquem o autor ou outros leitores do site. O seu email não será publicado ou comercializado.*